22.9.17

Tony Estamos contigo!

'Tony estamos contigo!!!', é por certo o que dizem (que é como quem diz, gritam como galinhas a ser degoladas) as fãs neste momento. Eu sei que já chego tarde e que entretanto a TVI já se aproveitou e fez uma entrevista com ele, logo não há grande coisa a acrescentar, bem sei... mas nada me demove deste sentimento que urge em dizer o que está aqui na garganta entalado: Fã que é fã não se deixa abalar por pouco mais de uma dezena de canções assim... a modos que açambarcadas a outros indivíduos que, muito provavelmente, também se inspiraram noutros cantores pimba. Não me venham com histórias, que é só o Tony, porque não é, não senhor! Se pensarmos bem, as fãs agradecem, por certo, o esforço de roubar que o Tony fez durante todos estes anos, tudo em nome do seu amor por todas elas. O Tony é assim uma espécie de Robin dos Bosques, que roubava aos ricos - os franceses que ouviam de Françoise Hardy para cima - para dar aos pobres, os portugueses com sede de canções de fazer chorar as pedras da calçada. Usurpar assim canções de outras pessoas não é fácil, não é para qualquer um, temos de dar aqui algum mérito ao cantautor, pois durante anos ninguém deu por nada. Parabéns Tony!

Entretanto alguém que ponha um açaime na Maria Vieira que de repente odeia toda a gente e não se coibiu de lançar farpas ao nosso querido e adorado Tony. Mas sabem o que mais me indigna no meio disto tudo? É que entretanto não consigo parar de cantar a versão: "Despues de ti no hay nada, ni sol ni madrugada...". E não é que afinal a musica até é bonita?? E NÃO É QUE EU, ASSIM COMO QUEM NÃO QUER A COISA, DESCUBRO AGORA, ATÉ GOSTO DAS MUSICAS DO TONY???





16.9.17

A verdadeira inovação do novo Iphone X

A nova e mais empolgante inovação do novo Iphone X, que estará, à partida, disponível a 3 de novembro por estas bandas, será... tchan tchan tchaaan tchaaaaan... O PREÇO! É verdade. "O que raio vamos nós inovar desta vez??", pensaram eles. Os preços partem dos 1179. Isto o mais baratinho, em que mal cabe duas fotografias. Diz que o iphone X é o "futuro dos smartphones". Se o futuro é isto, então estou com medo de 2030. Por essa altura uma pessoa para poder fazer uma chamada vai ter de desembolsar uns 20.000 euros e ainda doar um rim, o baço ou quem está disposto a dar tudo... o rabo. 

Diz que há um sistema de reconhecimento facial! Mas que grande novidade futurista. Em 2030 os smartphones, nomeadamente da Apple, vão certamente conseguir perceber se os seus donos são bonitos ou feios e por essa altura vão se desligar e eventualmente explodir se a pessoa for assimétrica. E se eu tivesse um irmão gémeo? Foi a primeira coisa em que pensei. Então e vamos que duas irmãs gémeas são separadas à nascença e depois uma é extremamente má e quer a herança toda só para ela, estando disposta a tudo para atingir os seus objetivos (inclusive a não se coibir de roubar o telemóvel à irmã para ter acesso a dados importantes do testamento)??? E vamos que o iphone X não consegue ver as diferenças entres estas irmãs?? Por certo isto vai ser retratado numa novela qualquer da TVI com 5.000 episódios. E não me venham com a história de que os irmãos gémeos são inseparáveis, muito amigos, que quando estavam na co... na barriga da mãe estavam de mãos dadas e que por isso estas coisas não acontecem... já se esqueceram da irmã da Phoebe dos friends, a Ursula???? 

O iPhone X diz também que traz animojis. São emojis personalizados que podem ser enviados seguindo o movimento da cara dos seus utilizadores. Pára tudo, pára tudo, porque emojis que se mexem consoante o meu estado de espírito dá-me já vontade de ir a correr para a loja e acampar durante uns meses até este chegarem finalmente. É que ainda por cima saber que a câmara é de 12mp, também me faz saltitar de alegria. Uma Canon 5D tem 30mp , pessoas. E os Samsungs têm 12 mp há coisa de 3 anos, pelo menos. Inovação era o iPhone reconhecer o seu dono através do reconhecimento do pénis. Assim como assim a malta já só usa o telemóvel para mandar nudes. 

Há pontos muito positivos, calma. Diz que este iPhone traz uma evolução na realidade aumentada. Vai permitir, por exemplo, que a IKEA tenha uma aplicação que permite a qualquer pessoa ver se os móveis ficam bem na sala, no quarto ou na cozinha, em vez de termos de sair de casa e acabarmos mais perto de levar um tiro na buraca (porque nos perdermos) do que a andar a roubar lápis à balda na loja sueca. Eu acho o máximo porque finalmente vou ter um móvel do IKEA lá em casa (não tenho nenhum e é triste), isto já montado... o que faz toda a diferença. 

Entretanto fazer com que a bateria dure uma semana, é mentira. Fazer com que uma pessoa não tenha de carregar o telefone três vezes ao dia, já no seu fim de vida, como eu faço neste momento, não parece importante para estes queridos. Mas pronto, não quero saber, vou comprar. Vou comprar nem que para isso tenha de passar fome durante um ano e faça refeições na comunidade Vida e Paz.


27.8.17

Camões estaria orgulhoso

Camões era um tipo amistoso, todos sabemos disso, com uma vida boémia e turbulenta que, já se sabe, lhe trouxe alguns dissabores no que toca ao olho. Ficou sem ele jovem. Agora não tem nenhum, mas aposto que estaria orgulhoso, com laivos de nacionalismo fervoroso, de ver (se o resto da visão o permitisse) que esta gente trata esta bela língua viva com apreço. Eu diria mais, com sapiência! Imaginem o Camões alapado no seu sofá a ver o Jornal da Noite, sabendo que corria o risco de dar de caras com a Joana Latino. Visualizem o máximo que conseguirem. Sentado a fazer zapping na televisão, decide parar na SIC, esse canal independente que, a propósito de uma reportagem em Viseu, decide entrevistar quem por ali passava a tarde numa piscina (a fingir que era uma praia, com direito a um daqueles painéis que na China usam com o propósito de fingir que por ali o ar não está nada poluído e que até dá para ver belíssimos pores do sol). «Então e vieram do Porto para cá? Como é que conheceram este espaço?», pergunta a jornalista, talhada para ouvir repostas sempre surpreendentes. "Já tínhamos ouvisto", responde um senhor de sorriso escarninho e bigode farfalhudo. Camões, no seu sofá, salta de alegria ao ouvir tamanha preciosidade linguística, nunca antes pensada. Camões, admirado até à medula, pôde constatar que os portugueses evoluíram muito desde meados de 1500. Esperavam que Luís estivesse apoplético de raiva? Nem pensar! Estaria orgulhoso por saber que os portugueses têm olho para a evolução linguística. É que parecendo que não, "ouvisto", poupa tempo, tempo precioso para estar a bronzear. Para quê perder dois segundos a dizer que já tinha ouvido falar e visto algures, quando toda a gente entende onde quis chegar. Camões deu pulos de contente e festejou, também ele, os 25 anos da Chic (como diz a Liliana Campos). Camões chegou mesmo a desejar não ter perdido tanto tempo a escrever os Lusíadas. 'Pra quê?', pensou ele. 


22.8.17

Kit nerd Essenciais

1. Um belo boné. Mas não é um boné qualquer, não, tem de ser especificamente da NASA, ou então não serão gozados e por isso nunca terá a mesma graça. O que importa é conseguirmos mesmo ser insultados. "Nerdddd!!!" gritam eles, rufias, ou simplesmente pessoas cheias de estilo. Fingimos que estamos tristes mas, na verdade, saltitamos por dentro de alegria. O ideal é parecer que somos verdadeiros ratos de biblioteca e que dominamos assuntos complexos. Saber que a Eosinopénia é um marcador preditivo da ulcera péptica perfurada, poderá ser um desses assuntos dos quais temos total domínio. O que é que isso tem a ver com o sistema solar? Nada, nem é preciso saber que a NASA é uma agência espacial. 



13.8.17

Wet Dreams

Não tive wet dreams, não. wet Dreams é o nome de um filme que passou num qualquer festival de cinema de surf algures na Ericeira. A que propósito vem isto? Rigorosamente nada, um pretexto para contar um sonho estapafúrdio que envolve nada mais, nada menos, que a Luciana Abreu e o Ricky Martin. Sim, os dois... do que me lembro era uma espécie de tour pela casa da Luciana e não querendo mentir, acho que a certa altura quem estava a fazer essa visita era a Oprah Winfrey. Ou a Fátima Lopes. Era por certo uma mistura das duas. A casa era uma casa pré-fabricada retangular (sei bem que se estava a interrogar sobre isto). E era preta por fora. Eu, sendo um personagem omnipresente, percebi logo que a Luciana tinha escolhido o preto como homenagem ao seu ex-marido, Yannick Djaló. A parte mais bonita deste episódio, na casa da Luce, foi quando, com crianças na sala, a Luciana decide pegar numa cadeira (que não era apenas uma inocente cadeira) e, alongando-a, assim em jeito de mobiliário futurista que tem várias funções, transformou a dita num varão de stripper. Sim, também leram bem, num varão de stripper onde sem mais demoras começou a rodopiar com as pernas todas levantadas. A situação estava a ser estranha, com a Ophra/Fátima, a fazer um olhar embaraçado. E por isso mesmo apressámos a Luciana a mostrar a parte de cima da casa, onde, no quarto, estava o Ricky Martin deitado na cama com um ar másculo. Fim.


25.7.17

RIP Paint

Ainda ontem usei o Paint. Um gajo faz print-screen, cola no paint e está feito. Vai acontecer o mesmo que aconteceu ao rinoceronte negro do Oeste e ao MSN - a extinção. Vou ter saudades, mas espero que todas estas coisas sejam temporárias, assim em jeito do que aconteceu ao vinil, aos gira-discos, às cassetes. Ou até os all-stars, que volta e meia voltam e quando dou por mim estou com uns verde-menta. Ainda no ano passado, quase a arrancar os cabelos sem saber mexer no photoshop, o Paint foi o meu melhor amigo. Isto não é um adeus, é um até já.





                                                                               NME