19.5.15

O Rei Louco


Estava a folhear umas revistas de viagens perdidas pela casa, quando, ali diante de mim, um castelo, megalómano, na Alemanha, mais propriamente em Fussen. Eu já tinha ouvido falar nele aqui e ali, admirado a beleza e a sua imponência, mas nunca tinha procurado saber mais sobre este castelo/palácio/quero mudar-me para lá já hoje. É o castelo do Rei Louco. Foi construído meramente por capricho, quando, na verdade, na altura em que fora edificado, os castelos já não eram muito ou mesmo nada atuais, eram mais uma construção típica da idade média, por aí. Basta referir que foi construído já na era industrial e percebe-se a dimensão do ego do senhor Ludwig. Pelo que fui descobrindo, já o seu avô era famoso e não pelas melhores razões. Era um mulherengo do pior, que troca a condição de rei por um love affair (atenção, não o condeno). O neto, Ludwig II, também pareceu sair ao avô na excentricidade, já na orientação sexual, devia sair à avó. Pelo menos consta, ouve-se por aí dizer, que preferia escapadelas com os cavaleiros. É importante referir que ainda chegou a ficar noivo de Sophie, irmã da imperatriz Sissi da Áustria, mas uma coisa arranjada, aborrecida, que nunca viria a acontecer. Na verdade ele viria a viver pouco no castelo. Primeiro, demorou imenso tempo a ser erigido, mas depois, dois anos mais tarde, depois de nele habitar, acabaria por ser encontrado morto, no lago StarnBerg. Já nessa altura tinha-lhe sido diagnosticada "loucura", dado mesmo como incapaz de administrar a sua própria vida, quanto mais o reino da Baviera. Esta morte é ainda envolvida em mistério, uma vez que Ludwig era conhecido por ser um ótimo nadador. Teria então sido ele assassinado por um inimigo? Suicídio? Crime passional? Da sua vida amorosa restam alguns registos, tais como o seu bromance com uma série de homens. Um deles com o príncipe Paul Von Thurn Und Taxis. Eles liam e faziam caminhadas juntos nas montanhas da Baviera, e chegavam a ler poesia um ao outro. Ludwig tinha mesmo uma obsessão pelo príncipe Paul, mas acabou por romper o romance quando soube que Paul andava envolvido em relações com mulheres, imagine-se o devaneio. Depois do anunciar do casamento com a irmã da imperatriz, a tal, soube-se da paixoneta com um ex-soldado do exercito da Baviera e um crush por um jovem ator húngaro, um tal de Josef Kainz. A este último, durante o curto relacionamento, o rei deu-lhe presentes caros e levou-o numa viagem pela Suiça. A relação não durou muito, até porque parecia que Ludwig gostava mais das personagens que Josef interpretava do que do próprio. Também dele eram conhecidos piqueniques à noite onde eram convidados soldados do castelo. Não foi assim tão trágico, ninguém acabou a usar saca rolhas, por exemplo. 


Sem comentários:

Enviar um comentário