10.5.16

Gonçalo Teixeira e o detergente para lavar roupa

Lembro-me perfeitamente onde o Gonçalo começou. Não tinha barba na altura e tinha uma trunfa de caracóis se faz favor! Ele a a Jani Gabriel, menina que agora é repórter, venceram um concurso juntos, isto há provavelmente mais de 10 anos na boa. Enfim, para explicar que ele agora faz um anúncio a um detergente qualquer que na verdade nem me lembro o nome e, também, duvido que o mulherio se recorde porque devem estar com a atenção focada noutra coisa. Mas pronto, é um anúncio em que ele está em tronco nu, e vai lavar as cuecas e as meias (digo eu), ou então não vai lavar nada porque tem alguém que faça por ele. Talvez se ele tivesse o símbolo da marca na testa ou no sixpack, alguém se lembrasse da marca. Ou, e porque já nada me surpreende neste mundo, na zona do abono de família. Os homens, por sua vez, estão a pensar porque raio a mãe natureza não lhes deu um corpinho igual, ou então, a pensar que a casa vai a baixo se alguma vez entrar ali um detergente daqueles (SURF, sim já fui investigar). Honestamente eu se fosse mulher simplesmente nunca mais na vida comprava aquele detergente. Sim, até porque estamos a partir do pressuposto que só as mulheres são o target desta ilustre marca. A esta hora está os pessoal do marketing a achar que fez um maravilhoso trabalho, afinal, até já o jornal Expresso fala sobre isto! Champanhe para toda a gente naquele gabinete. É interessante porque, lá está, eu achava que a marca estava só a partir do pressuposto que eu era burra e limitada e, quase, primitiva. Temos muito de primitivo, é verdade, respondemos, quase posso apostar, a muitos estímulos aos quais o australopiteco também responderia. A única diferença é que temos uns aninhos (vá, também não são assim tantos), que nos permitiram evoluir e ser mais racionais e conscientes que a publicidade, por muito bonita que seja, e por muitos gajos e gajas boas que tenha, estão se simplesmente a cagar para nós e só querem os nossos tostões. É isto, puro e duro. Para as senhoras que se babam de cada vez que vêem o anúncio, esta é para vocês: parece impossível, mas quer comprem ou não comprem o detergente, o Gonçalo nunca vos vai aparecer lá em casa. O máximo que poderá acontecer é terem sonhos molhados com ele, ou chamarem o vosso Zé de Gonçalo por engano. É a mesma coisa que a moda no geral, é tudo muito bonito, as pessoas fazem fila para ir a desfiles mas se pensarem bem as marcas nunca vos poriam a desfilar e nunca em anúncios nos punham, pessoas normais, nas suas campanhas publicitárias - o que mostra que as marcas só querem saber de pessoas lindas de morrer, e, se assim é, elas que comprem as vossas tretas, as modelos que comprem os vossos trapos e comprem o vosso detergente para a roupa! Qualquer dia até para ser político é preciso ter 1.80 e cheekbones.


Sem comentários:

Enviar um comentário