15.8.16

Avé Férias

Para ser sincero não são férias, são umas folgas que, graças ao senhor, consegui juntar muito bem juntinhas, o que deu uma espécie de 9 dias sem meter os cascos no estúdio. Não me posso queixar, que era só suposto ter férias em 2030. Só tenho uma reclamação a fazer entretanto, que me permitam partilhar, caros leitores imaginários! Tem estado bom tempo e até aí, tudo bem. Mas ontem vi a minha vida andar para trás, cada vez mais convicto de um complô para me arruinarem os escassos dias que vou poder ir à praia este ano: não é que a estúpida da SIC anunciou chuva para hoje??? E eu, idiota, que estava a ir na cantiga e estive para não ir à praia... Resultado: tinha perdido o melhor dia de sempre, com bandeira verde inclusive. Raios parta Carnaxide e àquela ceita do demónio. Enfim... não tenho tido tempo para acompanhar série nenhuma, ler, tocar guitarra ou qualquer outra coisa cliché que o mundo todo faz. Entretanto meti-me a ver Orange is The New Black, terceira temporada! Não, não tenho paciência para Game of Thrones (uma espécie de Senhor dos Anais mal amanhado - eu juro que tentei). Já tinha algumas saudades de todas aquelas lambe carpetes, tenho de admitir. Comecei por rever episódios da primeira série e tenho de confessar que me casava com a Piper, ainda que ela não goste lá muito de pilas. Também me casava com a Crazy Eyes, ou Uzo Aduba, que é só incrível a fazer aquele papel de tresloucada. Agora, lésbicas na ficção são toleráveis e uma pessoa até acha graça, mas lésbicas na realidade, pelo menos as que conheci, são insuportáveis - aqueles melodramas todos são demais para mim. Tive duas amigas que, venho a descobrir, contra todas as probabilidades... Eram efetivamente muito amigas das suas amigas. Corria tudo muito bem até ao dia em que se tornaram rivais e andavam a disputar uma outra, também ela gira que doía à alma. Acabámos cada um para seu lado e continuo com a mesma questão: tanta merda para lamber carpetes? Desde então lésbicas só no Orange is the New Black, que para além de muito longe daqui, estão presas. 


Sem comentários:

Enviar um comentário