14.8.16

Realidade ou ficção?

Na silly season dá-me para falar de malas. Podia ser pior, vendo bem. Podia por-me a dizer disparates sobre os 322 beneficiários da subvenção vitalícia, entre os quais encontramos o adorável Manuel Alegre; ou podia simplesmente falar sobre o endividamento excessivo que assola a China ou, ainda, que eu sou uma pessoa atenta, sobre a (pouca) importância de ter o Raúl Jimenez como o jogador mais caro da história do futebol português. Mas não. Em vez disso, pensei numa coisa mais maricas. Na verdade é mais pelo design em si, que me chamou à atenção, do que propriamente pelas ditas. Para que conste não era fã suficiente para andar com uma coisa destas em Lisboa ou onde quer que fosse, mas desafiou-me mentalmente e, como tal, merece que fale delas. A primeira vez que as vi, há já algum tempo, senão anos, fiquei completamente siderado a tentar perceber se era montagem ou se tinha batido com a cabeça e andava a misturar realidade e ficção - quem sabe, até a sofrer efeitos secundários de ter visto demasiado cartoon network na infância. Uma pessoa pensa, ao olhar para estas imagens, que está a ser completamente ludibriado, que o photoshop faz realmente maravilhas... Mas, aqui afirmo, provavelmente com o vosso sobrolho levantado, ou com um esgar desconfiado cheio de dúvidas: estas malas existem, não são desenhos e mais, são exactamente como as vê-mos nas fotos. Não me perguntem como, mas a proeza é da empresa JumpFromPaper, de Taiwan (porque é que eu não estou surpreendido?), que achou por bem animar, literalmente, a nossa silly season que chega a durar o ano todo. Reality with a twist.







Sem comentários:

Enviar um comentário