9.11.16

Sabem onde podem enfiar o Web Summit?

Hoje percebo as dores dos jornalistas. Divididos na angustia de acompanhar as eleições americanas, seguir a par e passo a Web Summit ou, dada a última hora, dissecar tudo sobre a telenovela do querido fugitivo. É um dilema como nunca antes visto. Já estou a imaginar a Clara de Sousa a arrancar os cabelos e a dizer 10 palavrões de seguida, por não saber o que chega a ser mais importante no meio disto tudo. Quem paga são os estagiários, que ela não se coíbe de lhe mandar o café e os agrafadores à cabeça, tomada pela raiva de não estar bem certa para onde se virar, do que dará mais audiências. Houve uma frase soberba, aqui há umas duas semanas, proferida pela mesma: "Voltaremos sempre que se justifique para seguir este caso que está a apaixonar a opinião publica". A apaixonar? A sério? Eu apaixonei-me por séries como o Six Feet Under ou Weeds, agora se um tipo anda fugido às autoridades é me igual ao litro e pode provocar tudo, menos paixão. Há pessoas que se apaixonam com pouco, já se sabe. Não me canso de dizer que a Clarinha passou-me à frente da fila do almoço mesmo à descarada, como tal não me venham cá dizer que ela é uma querida. Não é. Espero que ela tenha uma noite difícil. Mentira... desejo-lhe tudo de bom. Beijinhos. Agora, a angustia permanece. Há dias em que não há nada para seguir e o cabrão do Pedro Dias escolhe logo hoje, a esta hora, para dar o ar da sua graça. Ele claramente não anda a acompanhar as eleições americanas, caso contrário manter-se-ia escondido... vai que o Trump vence, como é que é? Pelo sim, pelo não, eu, no caso dele, queria ficar o mais isolado possível desta sociedade demoníaca. Tenho para mim que ele engraça com a Hillary Clinton. E, ainda, a propósito desta diarreia informativa, sabem onde podem enfiar o Web Summit? Pensem no assunto, mas tem a ver com o intestino grosso. 


Sem comentários:

Enviar um comentário