22.1.17

Game of Thrones, a segunda tentativa

A prova que eu sou um tipo que insiste e dá o beneficio da dúvida, é que estou a tentar uma segunda investida numa das séries mais adoradas pela plebe. Sim, eu já tentei ver uma vez, só que acabei a desistir logo no primeiro episódio, sem animo para continuar a perder o precioso tempo da minha vida. Mas mudei de ideias!! E isto acontece porquê? Bem, primeiro porque a crítica é unânime no tom laudatório com que se fala da mesma. Já vi dois episódios e ainda não percebi porquê de tanto alarido... está bem que a fotografia é excelente, está bem que a produção é megalómana e que aquela gente, sobretudo por detrás das câmaras, teve e tem um trabalho soberbo, mas depois e o argumento??? Não fica um bocadinho aquém? Foi a impressão que me deu. Verdade seja dita que não sou obrigado a gostar de Guerra dos Tronos, era o que faltava, mas gostava de perceber o fascínio e perceber a mística em torno do fenómeno. A sério que gostava. Na verdade é só porque é tema recorrente à hora de almoço e eu fico a olhar para o ar.

Há, ainda assim, séries a mais. Um tipo tem vontade de ver tudo e três vidas não chegavam. Se dantes existiam meia dúzia de séries, que eu não acompanhava, mas sabia que existiam - sou do tempo da Buffy, um fóssil ao sábado à tarde - hoje existem séries aos pontapés. Agora são tantas que não chego a saber por qual delas começar ou se vale a pena começar a ver. Depois veio um tempo em que as séries eram sinónimo de alternativa inteligente e evoluída, de qualidade: Angels in America, Six Feet Under, Friends, Weeds; Estamos naquela fase em que são tantas que, muitas delas, sem qualquer tipo de argumento consistente, acabam a ser canceladas. Faz sentido que o número tenha crescido substancialmente, a industria do entretenimento também ela cresceu na última década a olhos vistos, e, é certo, a noção de viral está em tudo e em todo o lado. 

Às vezes também sou resistente a coisas novas. Foi o caso de Prison Break, por exemplo; Já toda a gente estava a ver e a jurar a pés juntos que era incrivelmente boa, mas só tardiamente cedi à pressão social. vi em 2014 e, claro, fiquei completamente rendido a uma primeira série notável. Tenho ideia que a segunda também não foi má. Claro que estou, de alguma forma, contra a existência de uma 5ª temporada, há que saber quando pôr fim quando é suposto. A ideia de que uma série para ter sucesso tem de ter 200 temporadas é um erro crasso. Ou sabem manter o nível de qualidade ou vale mais dar término. Esta minha resistência atroz a algumas séries toma especial relevo no caso de Breaking Bad. Que não via, que nem pensar, que toda a gente falava nisso e pronto... a pedido de várias famílias, vi. resultado? Na segunda temporada comecei a gostar à séria daquilo. Se acho que é a melhor série de todos os tempos? Não. Mas valeu a pena ter visto, sim. 

Em todo o caso há uma duvida que me assola: com é que a série Six Feet Under tem 8.8 no IMDB, e o Game of Thrones tem 9.5??? Pronto, é exatamente por isto que eu estou a dar mais uma oportunidade. No entanto, no Rotten Tomatoes, SFU, tem 97% e GOT já só tem 95%. Estou curioso, portanto. 







1 comentário:

  1. Game of thrones é uma série envolvente que como qualquer outra não vai te prender no primeiro episódio. Tá, sou suspeita de falar já que amo essa série, mas nem sempre ela fez parte das minha séries preferidas e entrou meio que se expremendo nessa categoria, "pra que diabos vou ver uma série em que todos vão morrer brigando por um trono?" seila cara kkk apenas se jogue sem medo na história e se deixe levar, quando perceber vc será mais um fã de uma série em que todos morrem brigando por um trono de ferro.

    ResponderEliminar