1.2.17

Betume

Ela é linda sem betume. Ela é perfeita e quando se deita, não precisa de betume. Ela é linda é, ela é linda, linda sem betume. Ahn A. G. I. R. ye, got it, got it. Yeah Yeah! Sem estar cor de laranja, sem 10 camadas de cimento, ela foi abençoada, yeah. Com o olhar, com o dom de parar o transito na estrada. Ela não precisa de 2 de mão para provar. Que ela não precisa, para quê inventar, se ela é... Ela é linda. Ela é perfeita e quando se deita, não precisa de betume. Linda por dentro como é por fora. E se ela não notar então vou dizer-lhe, que quando acorda, ela é (afinal) feia sem betume. Ela é feia é, feia, feia como um camafeu sem betume. 

Eu até continuava a fazer a letra toda, mas acho que fica o essencial. Ela é linda sem uma camada hedionda de maquilhagem na tromba. O problema é quando acorda de manhã (ou a qualquer outra hora do dia) e se repara que afinal ela precisa realmente ali de muito cimento, caso contrário ou ia para freira, ou acabava virgem com 90 anos. 


Sem comentários:

Enviar um comentário