25.3.17

Gucci Primavera Verão 2017

Vou tentar ser sério a falar desta coleção, embora vá destoar desde logo, já que o diretor criativo Alessandro Michele torna a tarefa difícil, quando nos leva para um mundo de non sense, com uma miríade de referências que nos arrastam, contra a nossa vontade, para o carnaval de Torres Vedras. Gabardines, casacos de texturas duvidosas, padrões a pedir mesmo para um tipo ser vítima de bullying na escola, ou no trabalho, ou onde quer que pensemos andar com algumas destas peças vestidas. Estamos a falar de uma coleção de primavera/verão, volto a reforçar, porque está claro que dá imenso jeito ir para a praia da Comporta a emanar tamanho estilo.


Estampados que não primam pela discrição, com cores fortes e pouco sóbrias, numa junção de padrões e floreados a fazer lembrar os cortinados dos anos 80! A coleção apresentada em Milão tem de tudo: o estilo xoninhas, o estilo oitocentista, labrego, pomposo, snob...


Looks totais que não lembrariam a nossa tia avó, aquela que foi deserdada porque era demasiado excêntrica e fazia topless na praia nos anos 20. Tem também o estilo colegial safado. Eu sei que isto deve ser desconstruído e, claro, nunca ninguém vai usar propriamente uma indumentária destas completa, no máximo vai comprar ali um casaco para combinar com umas calças que lá tenha por casa, até para equilibrar a coisa e não parecer que se vai candidatar ao Chapitô. Há por ali uma camisola de um familiar do Bugs Bunny que até gosto, nem tudo é lastimável.


Quem deve estar aos pulos de contente, por já andar sem inspiração e ter esgotado todos os chapéus risíveis, é a Paula Bobone. Ela achava que já não conseguia provocar mais vergonha alheia, mas enganou-se, esta coleção veio revolucionar a nossa Paulinha.



Ainda no roll de influências do Alessandro estão os padrões vibrantes, os detalhes minuciosos, os pormenores militares, navy, e de Rock Star ao estilo Rolling Stones. Além dos padrões chineses e do efeito jacquard. Gosto do casaco azul aqui de cima, já que perguntam. Se não for azul é, por certo, uma cor muito parecida. Já disse que tenho dificuldade em distinguir algumas cores, é uma chatice. Todos os modelos a desfilar têm um ar infeliz. Eu também estaria se, para pagar a renda da casa, tivesse de vestir como se fosse fazer um part-time para o Circo Cardinali.


Pode não parecer, mas ali pelo meio há uns elementos clássicos. Nomeadamente nos cortes e essas mariquices todas. Se estiverem já a pensar no carnaval de 2018, tenho algumas lojas onde podem alugar fatos sem terem de gastar 2.000 euros. 


Fonte: instylelook.com 

2 comentários:

  1. Tudo isto é relativo. Se esta coleção demorou tanto a fazer qt vc demora a escrever novos posts, então sim, é vergonhoso pq dava tempo pra fazer a melhor coleção do mundo!

    ResponderEliminar