17.4.17

Tenho alguém morto em casa

Está um cheiro insuportável neste casebre. Foi tudo de férias da Páscoa e entretanto, um dos pontos positivos, é que tenho a casa só para mim. Como alguém fez questão de me lembrar, já posso fazer coisas pecaminosas, entre elas, "orgias e gangbangs". Aconselham-me sempre a fazer coisas muito católicas e dignas desta época de celebração. O que quer que eu escolha fazer cá por casa nesta altura, enfrento um grande problema: está um cheiro que não se aguenta. Temo que esteja alguém morto dentro de um dos quarto. As janelas estão abertas para isto respirar, e mesmo assim, não passa. Depois, a malta está ausente, à partida (porque eu não tive em casa, estava de férias) desde sábado passado. Ora se a empregada veio na segunda, seria de esperar que não houvesse cheiro a pessoas em avançado estado de decomposição por estas bandas. Está bem que nós fazemos 2 toneladas de lixo por semana, mas, lá está, o cheiro não se concentra na cozinha, mas na zona central da casa que dá acesso aos quartos! Nada bate certo. A questão que se impõe é: devo eu invadir os aposentos daquela malta toda para verificar se de facto estou, ou não, perante um caso mórbido? Pode acontecer... Terá sido homicídio? Terá sido a Carminho?? Não terá ela aguentado ser tão beta que sucumbiu, e esticou o pernil?? Ou terá sido o João que, depois de deixar um recado na minha porta (onde se podia ler que me tinha deixado pão), teve um enfarte do miocárdio graças à quantidade de cafeína que ingere todos os dias. É que estivemos a ler no outro dia, e não é que há um limite de 5 litros diários? Ah, pois, é... valor em muito ultrapassado por este menino, vamos lá ser realistas; Ou terá sido a rapariga nova que eu, partilhando o mesmo teto há quase três semanas, ainda não vi??? Tomei a liberdade de lhe começar a chamar Casper (ou Murta queixosa, estou indeciso). Ela simplesmente não sai do quarto, o que me leva a equacionar que a morte deve ter sido provocada por fingir-se de morta demasiado tempo! Ainda por cima roubou-me um pano amarelo. Ainda não a vi e já não posso com ela. Há ainda mais três mortes possíveis no andar de cima. O Bernardo, que poderia ter falecido por não aguentar ser tão antipático e frio; o António, que não aguentou o cheiro das próprias toalhas que deixa no hall, ou o Ricardo que faleceu depois de ter tido uma overdose de Koka (noodles de camarão). Os gajos do CSI resolviam-me este enigma em menos de uma hora. Este foi de resto o ponto alto da Páscoa 2017.



4 comentários:

  1. Portanto aborrecido de morte como sempre! Zzzzzzzz

    ResponderEliminar
  2. Já pensou que pode ser você?

    ResponderEliminar
  3. oh meu Deus, és tu!! É tipo o After Life e não sabes.

    ResponderEliminar
  4. NaoSouOMarcoOutraVez21 de abril de 2017 às 20:34

    Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

    ResponderEliminar