11.6.17

Coisas que um tipo tem de ouvir #4

É praticamente verão e se há coisa que nunca me há-de acontecer, é aquela situação do "ah, espera, já estamos no verão?? Nem dei por nada!! Estamos aqui estamos no natal"; dou, dou muito bem por isso, dou sempre, porque faço anos nesse belo dia de solstício. É neste contexto que a Olá, a marca de gelados (que tem nomes estranhíssimos noutros países e que nós até pensávamos, ingenuamente, que era uma marca portuguesa...), tem andado a relembrar as pessoas que está na hora de comer gelados à balda. Ultimamente foram as mensagens coladas no chão do metro, com frases do género: 'diz Olá a quem está a descer as escadas", ou, "diz Olá a quem está do outro lado da linha". A meu ver a jogada de marketing era mais forte, se fosse antes: "Atira alguém das escadas rolantes, quando ocupam lugar à esquerda", e, "manda alguém para a linha que te esteja a irritar profundamente"; ou ainda, "grita com o senhor cego que acha bem atravessar as carruagens em hora de ponta quando tu não te consegues mexer um centímetro - mas ele quer passar!!!!!". Eu só sei que nunca ninguém me disse olá desde que vi esta publicidade, nem vi ninguém a fazê-lo, somos pessoas muito sorumbáticas quando andamos em transportes públicos, basta olhar para o semblante fechado da malta à nossa frente. Aquela ideia de que todos nós somos potenciais assassinos faz todo o sentido nesse contexto, por isso, Olá, não me peças para ser simpático. 

Mas entretanto a marca teve outras ideias pertinentes. A minha amiga Madalena, que está naquela fase em que quer dar tudo para estar em forma para o verão, contou-me, em prantos, que no dia em que se lembrou de ir correr e caminhar para abater uns quilos, foi o dia em que estavam a dar gelados na rua! Comeu um. "por azar acabo de comer o primeiro, aparece-me outra miúda a oferecer outro...". Quer dizer, vamos lá ver, não basta a malta achar que vai ficar em forma num mês, não basta a malta que entope os ginásios por esta altura mas começam a hibernar em setembro, ainda vêm dar gelados hipercalóricos para a rua!! Está bem que uma pessoa tem de saber quando fechar a boca, mas quem é que diz que não a dois cornetos à borla?? "soube tão bem. Mas foi mesmo triste, não ia recusar não é??" Nunca se diz que não a nada que seja à borla. É isso e apanhar moedas na rua. No outro dia, à saída de uma loja no Vasco da Gama, vejo 20 cêntimos polidos e reluzentes no chão. Vai de apanhar. Não é que o raio da moeda estava colado ao chão intencionalmente? É que nunca mais apanho moedas na vida. A Madalena nunca mais vai correr para ficar em forma. A Madalena aprendeu a lição, vale mais ficar sossegada e alapada ao sofá, que sair à rua e ingerir 900 calorias à bruta durante uma corridinha. 



Sem comentários:

Enviar um comentário