1.6.17

Cunilingus e IRS

Não bastasse já ter de estar a fuçar no site das finanças em dia de folga, na semana passada, num cenário idílico, sem conseguir submeter a merda da declaração de 2016, com anexos que nunca mais acabam, com erros que se reproduziam, numa charada sem fim... ainda tive de, ao lado da minha mãe, ouvir coisas como estas que se seguem, na televisão (alerto para o leitor mais sensível que o que se segue pode fazer corar a Ana Malhoa, ou a Cicciolina): "A Madonna nunca se sentou na tua cara??", ou "há coisas que crescem dentro de nós... como a próstata, por isso é que ficas mais sensível, mais bom, mais bem formado, porque a próstata é responsável pelos bons sentimentos... a apalpação da próstata é um ato de amor; o médico mete o dedo no cu para saber se estás bom"; ou ainda, A PIOR DE TODAS (e por esta altura eu já me ria em silêncio, virando a cara para o lado oposto à minha progenitora, já encarnado: "lambe-me o cu... o que em alguns casos pode ser granda prazer, não é? isso, isso, anda... lambe-me o cu. Isso! Espeta, espeta porco!!". E ainda, como se não chegasse já, "a minha palavra preferida vem do latim... cunilingus". E continua: "também gosto de outra palavra do latim, que é uma coisa que as meninas fazem, as que querem entrar nas novelas; que é o casting. As meninas vão lá aos diretores das novelas, não é, entram nos gabinetes, não é, e fazem um casting. Antigamente chamava-se felatio; neste momento há muitas meninas a dizerem às mães: mãeee, vou para Lisboa... e diz a mãe... mas não engulas!" - obrigado Herman, por todos os momentos constrangedores em família. 



Sem comentários:

Enviar um comentário